6ª Reunião – Confraria Chug-a-Lug

Data: 06/Julho/2017

Chug-a-luggers Presentes: Alexandre Fornazari, Alessandro Montoya, Gustavo Samogim, João Ferreira e Marco Jordan.
Chug-a-luggers Ausentes: Ed Gomes, Rodrigo Menossi, Marcelo Sperandim, Orlindo Martins e Renato Maldonado.

Presidente: Renato Maldonado substituído por Alexandre Fornazari

A reunião foi iniciada às 20:30 devido ao atraso dos confrades que estiveram presentes. Iniciamos com o Bate-papo Técnico conduzido por Alexandre Fornazari onde foi feita uma apresentação sobre lúpulos. Foi explicado sobre a função destes elementos na cerveja, sua interferência no amargor, aroma e sabor da cerveja. Foi explicado também a diferença entre os tipos de lúpulos bem como seus efeitos secundários – porém não menos importantes – na cerveja.

A degustação foi iniciada logo após o bate-papo e o Presidente da Reunião, Alexandre Fornazari, perguntou aos presentes se algum deles teria interesse em presidir a sétima reunião. Como ninguém se voluntariou o Alexandre presidirá também a próxima reunião. A data da próxima reunião ficou definida para dia 17/08/2017.

Na sequência foi justificado a escolha de aprofundar no universo Lager, para que todos possam ter uma compreensão melhor dos estilos desta família. O estilo escolhido para esta degustação foi o estilo Bock. Foi informado aos presentes que a escolha foi feita pelo confrade que presidiria a reunião, que infelizmente, por motivos de força maior, não pode estar presente. Uma breve história a respeito do estilo foi contada e foram selecionadas quatro cervejas Bock e todas foram degustadas, avaliadas, comentadas e debatidas entre os confrades.

Na sexta reunião, as seguintes cervejas foram degustadas e avaliadas:

A avaliação dos confrades mostrou que as cervejas apresentaram alto grau de aceitação e avaliação. A grande estrela da noite, na opinião dos confrades, foi a Tupiniquim Bock.

Nossa próxima reunião da confraria será dia 17/08/2017 e nosso próximo presidente será o Alexandre Fornazari.

Saúde e até lá!

Hausen Bock

Características:

Cervejaria: Hausen Bier
País: Brasil
Estilo: Traditional Bock (5B)
ABV: 6,0%
Temperatura de consumo: 8 – 12 ºC
Copo Utilizado: Lager

Descrição do Fabricante:

A Hausen Bock é uma cerveja de baixa fermentação, de alto teor alcoólico, encorpada de cor avermelhada. Possui amargor suficiente para suportar a força dos maltes com final equilibrado. Os maltes especiais tostados remetem a biscoito, pão e caramelo.

Considerações da Confraria:

A cerveja Hausen Bock foi nossa primeira avaliada da noite. Aroma de malte acentuado com baixo lúpulo e muito equilibrada. Na aparêcia a coloração cobre avermelhado e colarinho bege chamou bastante atenção. A cerveja é bem transparente e apresenta boa formação de espuma com média retenção. Sabor equilibrado de malte e baixo amargor, remete a malte e caramelo. Todos nossos confrades informaram que comprariam esta cerveja para consumo.

Embalagem:

A embalagem da cerveja é a Garrafa Caçula de 600 mL e seu rótulo é muito bem desenvolvido. Tem um visual bem tradicional e é utilizado o jogo de cores para distinção de estilos, o que facilita a diferenciação dos produtos. A graduação alcoólica é apresentada no rótulo e possui um texto de apresentação da cervejaria e da cerveja, hamonização, copo ideal, temperatura de consumo, premiações e os demais textos obrigatórios por lei. Importante ressaltar que o rótulo informa ainda que o produto não deve ser ingerido por menores de 18 anos de idade.

Avaliação da Embalagem:

Rótulo tradicional bem elaborado, com temas que remetem ao estilo tradicionalista da cervejaria. Em nosso ponto de vista faltou apenas informar o índice de amargor da cerveja.

Avaliações de nossos degustadores:

Aroma: 7,2
Aparência: 8,4
Sabor: 8,1
Sensação na boca: 8,8
Impressão Geral: 8,4
Média Geral: 8,1

Ficha de Avaliação

Baden Baden Bock

Características:

Cervejaria: Baden Baden (Schincariol)
País: Brasil
Estilo: Traditional Bock (5B)
ABV: 6,0%
Temperatura de consumo: 5 – 7 ºC
Copo Utilizado: Lager

Descrição do Fabricante:

Coloração castanha, com um toque adocicado ao paladar e aroma levemente tostado: Baden Baden Bock é uma cerveja Lager encorpada. Originária da cidade de Einbeck, norte da Alemanha, a cerveja tipo Bock era produzida nos monastérios especialmente para festas religiosas.

Considerações da Confraria:

A cerveja Baden Baden Bock foi nossa segunda avaliada da noite. Aroma com traços marcantes de malte torrado e notas de chocolate amargo, caramelo e café. Na aparêcia a coloração marrom avermelhado e colarinho bege bem típico do estilo. A cerveja é bem transparente e apresenta média formação de espuma com boa retenção. Sabor equilibrado, com média carbonataçãoe bem equilibrada. Alguns de nossos confrades informaram que comprariam esta cerveja para consumo e outros que não comprariam, porém beberiam novamente.

Embalagem:

A embalagem da cerveja é a Garrafa Caçula de 600 mL e seu rótulo é muito bem desenvolvido. Tem um visual bem tradicional, com uma imagem já enraizada dos pinheiros de Campos do Jordão e é utilizado o jogo de cores para distinção de estilos, o que facilita a diferenciação dos produtos. A graduação alcoólica é apresentada no rótulo e possui um texto de apresentação da história da cerveja, hamonização, copo ideal, temperatura de consumo e os demais textos obrigatórios por lei. Importante ressaltar que o rótulo informa ainda que o produto não deve ser ingerido por menores de 18 anos de idade e que contém glúten.

Avaliação da Embalagem:

Rótulo tradicional bem elaborado, com temas que remetem ao estilo tradicionalista da cervejaria. Em nosso ponto de vista faltou apenas informar o índice de amargor da cerveja.

Avaliações de nossos degustadores:

Aroma: 7,2
Aparência: 8,4
Sabor: 8,1
Sensação na boca: 8,8
Impressão Geral: 8,4
Média Geral: 8,1

Ficha de Avaliação

5ª Reunião – Confraria Chug-a-Lug

Data: 01/Junho/2017

Chug-a-luggers Presentes: Alexandre Fornazari, Alessandro Montoya, Gustavo Samogim, João Ferreira, Marcelo Sperandim, Orlindo Martins e Renato Maldonado.
Chug-a-luggers Ausentes: Marco Jordan, Ed Gomes e Rodrigo Menossi.

Presidente: Alexandre Fornazari

A reunião foi iniciada às 20:00, como de costume, com o Bate-papo Técnico conduzido por Alexandre Fornazari. Nesta edição foi feita uma apresentação sobre os cereias fermentáveis. Foi explicado sobre a função destes elementos na cerveja, sua interferência na cor e no sabor da cerveja. Foi explicado também a diferença entre cerais maltados e não-maltados onde foi passado uma lista dos principais cereais maltados, cereais não maltados além de outros produtos fermentáveis. Finalmente foi discutido brevemente outras aplicações envolvendo fermentação.

A degustação foi iniciada logo após o bate-papo e o Presidente da Reunião, Alexandre Fornazari, apresentou formalmente o novo confrade, João Ferreira, e pediu que ele contasse um pouco sobre suas experiências anteriores com cervejas. Na sequência foi repassado novamente as regras da confraria, as funções do presidente, foram tratados alguns assuntos internos e as foram tomadas as definições da próxima reunião. Foi informado também que, devido ao sucesso da degustação no Capitão Barley e aos planos para repetir as degustações com público presente, não haverá mais convidados nas reuniões internas.

O presidente informou que, para dar sequência aos trabalhos ele poderia presidir também a próxima reunião, caso ninguém se voluntariasse para a função. Entretando o confrade Renato Maldonado se voluntariou e foi aceito pelos demais presentes. A data da próxima reunião ficou definida para dia 06/07/2017.

Na sequência foi justificado a escolha de aprofundar no universo Lager, para que todos possam ter uma compreensão melhor dos estilos desta família. O estilo escolhido para esta degustação foi o estilo Vienna Lager. Foi também explicado que a primeira cerveja não atendia o estilo, porém foram selecionadas três cervejas Vienna Lager e todas foram degustadas, avaliadas, comentadas e debatidas entre os confrades e convidados.

Na quinta reunião, as seguintes cervejas foram degustadas e avaliadas:

  • Burgman Casanova – Specialty Beer
  • Da Mata Vienna Lager (7A)
  • Bierbaum Vienna (7A)
  • Hausen Vienna Lager (7A)

A avaliação dos confrades mostrou que as cervejas Vienna Lager apresentaram alto grau de aceitação e avaliação. Com uma vantagem a grande vencedora da noite, na opinião dos confrades, foi a Hausen Vienna Lager, seguida de muito perto da Bierbaum Vienna.

Nossa próxima reunião da confraria será dia 06/07/2017 e nosso próximo presidente será o Renato Maldonado.

Saúde e até lá!

1ª Degustação Chug-a-Lug

Data: 27/Abril/2017

Chug-a-luggers Presentes: Alexandre Fornazari, Gustavo Samogim, Marcelo Sperandim, Marco Jordan, Orlindo Martins, Ed Gomes, Alessandro Montoya, Renato Maldonado e Rodrigo Menossi.

Convidado: Cezar Pereira.

Tema: Da Bavária ao Brasil – Uma viagem Lager

Público: 47 pessoas

Presidente: Marco Jordan

A apresentação foi iniciada pelo presidente pontualmente às 20:00 com uma breve apresentação introdutória da Confraria Chug-a-Lug ao público participante. Foram apresentadas as regras da Confraria, foi explicado brevemente o que fazemos em nossas reuniões internas e foram feitos os agradecimentos especiais ao Capitão Barley, à Cervejaria Avós e à Cervejaria Hausen por terem dado apoio e suporte para a realização da degustação.

Por volta das 20:15 a sessão passou para o confrade Alexandre Fornazari que conduziu o Bate-papo: O mundo Lager. Neste bate-papo, diferentemente das reuniões internas em que algum assunto técnico é tratado, foi contada a história da cerveja Lager, seu descobrimento, amadurecimento e difusão para todo o mundo até a chegada ao Brasil, se tornando o estilo de cerveja mais popular do mundo. Esta história será contada em publicações neste blog nas próximas semanas.

Após o término do Bate-papo foram servidos os maltes: Pilsen, Cara Gold e Café e os lúpulos: Saaz, Hallertau Hersbrucker e Citra para que os presentes pudessem experimentar os mesmos e facilitar a identificação de tais ingredientes quando a degustação fosse feita. A degustação foi iniciada logo após o término da degustação de ingredientes  bate-papo e o Presidente da Reunião, Marco Jordan, apresentou formalmente aos presentes sobre suas pesquisas e o motivo da escolha do tema e da seleção de cervejas. O presidente concluiu que o universo das cervejas Lager é muito grande e pouco conhecido, por isso resolveu fazer a degustação do estilo. Foram selecionadas quatro cervejas Lager e estas foram degustadas, avaliadas, comentadas e debatidas entre os presentes.

Esta foi nossa primeira experiência com público participante (não confrades) e nossa avaliação geral foi muito positiva. Foi muito gratificante poder compartilhar conhecimento, aprender com outras pessoas, ouvir suas opiniões e agregar um pouco de valor para uma coisa que somos todos apaixonados. Podem aguardar que iremos repetir a dose.

Pra finalizar fizemos a degustação de quatro cervejas, sendo que as seguintes cervejas foram degustadas e avaliadas:

  • Cerveja Czechvar – Czech Premium Pale Lager (3B)
  • Hacker-Pschorr – Pale Kellerbier (7C)
  • Vó Maria e seu Lado Zen – American Lager (1B)
  • Hausen Dunkel – Schwarzbier (8B)

Todas as cervejas foram muito premiadas mas queremos dar enfase especial às duas brasileiras.

  • A Cervejaria Avós com sua “Vó Maria e seu Lado Zen” que foi quem recebeu a medalha de ouro em Blumenau 2017 no estilo American Lager. Como mencionado pelo cervejeiro Junior Bottura na apresentação da cerveja aos presente, a premiação foi uma agradável surpresa pois ele considerava a categoria extremamente difícil por ter havido grandes cervejas inscritas. Para se ter uma ideia a medalha de prata na mesma categoria foi para a Dama American Lager e a medalha de bronze foi para a Kirin Ichiban, jogo duro mas vencido, parabéns Junior pelas cervejas e nossos agradecimentos pela sua participação especial.
  • A Cervejaria Hausen Bier com sua cerveja Hausen Dunkel que recebeu a medalha de ouro 2016 no World Beer Awards (WBA) tanto no estilo quanto como melhor Lager do Mundo, além da medalha de ouro em 2016 para o estilo no Festival Brasileiro da Cerveja. A cervejaria de Araras, no interior de São Paulo, foi fundada por dois Engenheiros de Alimentos e a cervejaria segue a linha mais tradicionalista, como o Reinheitsgebot, ou simplesmente Lei da Pureza Alemã, de 1516, onde a cerveja deve ser feita com apenas água, malte de cevada e lúpulo (ainda não se tinha conhecimento das leveduras na época). Parabéns ao Leandro e ao André pelo carinho que produzem suas cervejas, todas muito boas. Recomendo.

E a vencedora da noite, na opinião dos presentes, foi a Vó Maria e seu Lado Zen. A Cerveja recebeu duas notas máximas em todos os quesitos, dadas por José Antônio Bachur e por Carlos Rodrigues.

A próxima reunião da confraria será definida nos próximos dias e será interna (somente confrades).

Saúde!

Terceira Reunião – Confraria Chug-a-Lug

Data: 16/Março/2017

Chug-a-luggers Presentes: Alexandre Fornazari, Gustavo Samogim, Marcelo Sperandim, Marco Jordan, Orlindo Martins, Ed Gomes, Ricardo Valência e Rodrigo Menossi.
Chug-a-luggers Ausentes: Alessandro Montoya e Renato Maldonado.

Convidados: Antônio dos Santos e Fernando A. Gomes.

Presidente: Ricardo Valência

A reunião foi iniciada às 20:00 com um Bate-papo Técnico conduzido por Alexandre Fornazari. Neste bate-papo foi feita uma apresentação muito breve sobre mosto cervejeiro e o processo de “ramp up“. Nossos convidados teceram alguns questionamentos sobre a influência da água utilizada e o resultado na qualidade das cervejas. Foi explicado que o mosto cervejeiro deve ser feita com a água mais ácida, com pH entre 4,5 e 5,5 e que a dureza da água também influencia o resultado da cerveja.

A degustação foi iniciada logo após o bate-papo e o Presidente da Reunião, Ricardo Valência, apresentou formalmente os convidados aos confrades e pediu que eles falassem um pouco sobre suas experiências anteriores com cervejas. Na sequência o Ricardo falou um pouco aos presentes sobre suas pesquisas e degustações realizadas para a seleção e para a apresentação de cervejas. Ele concluiu que o universo das Pale Ale é muito grande e resolveu fazer a degustação novamente do estilo, dando continuidade à segunda reunião. Foram selecionadas quatro cervejas do estilo e estas foram degustadas, avaliadas, comentadas e debatidas entre os confrades e convidados.

Assim como nas primeira e segunda reuniões, surgiram dúvidas sobre ésteres, fenóis, formato do colarinho etc. Interessante comentar que uma das garrafas da Insana estava contaminada pois, assim que a tampa foi removida, a espuma começou a ser liberada pela boca da garrafa, o que me fez suspeitar de contaminação que foi confirmada pelo aroma, gosto e aspecto da cerveja. Esta foi uma experiência interessante, pois os confrades e os convidados tiveram a oportunidade de sentir as diferenças entre uma cerveja boa e uma cerveja contaminada. Vale notar que as garrafas de SUD também ameaçaram espumar ao serem abertas, porém ao chegar na extremidade a espuma parava e não escorria pela garrafa. Eu imagino que isso tenha ocorrido em função do “dry-hopping” feito nesta cerveja.

Fizemos a degustação de quatro cervejas, porém compramos cerveja para 17 pessoas (estávamos em 10 pessoas) degustar e, ao término da degustação todos exageraram e beberam todas garrafas. Temos que corrigir e comprar o suficiente para degustação somente, afinal de contas o objetivo é beber com qualidade e não em quantidade.

Na terceira reunião, as seguintes cervejas foram degustadas e avaliadas:

  • Insana – Pale Ale (10A)
  • Primator English Pale Ale (8C)
  • SUD Pale Ale (8B)
  • Fuller’s London Pride (8B)

Surpreendentemente a grande vencedora da noite, na opinião dos confrades, foi a SUD Pale Ale. Agora a grande surpresa mesma foi que tivemos a nossa primeira avaliação Chug-A-Lug, pois a SUD Pale Ale tirou nota máxima em todas os critérios para o nosso convidado Toninho.

Nossa próxima reunião da confraria será dia 27/04/2017 e nosso próximo presidente será o Marco Jordan.

Saúde e até lá!

Primátor English Pale Ale

Características:

Cervejaria: Pivovar Náchod
País: República Tcheca
Estilo: Extra Special Bitter English Pale Ale (8C)
ABV: 5,0%
Temperatura de consumo: 5 – 7 ºC
Copo Utilizado: Pint

Descrição do Fabricante:

Tradução: Nossa Pale Ale é uma cerveja de alta fermentação, produzida a partir de malte de cevada com uma pequena quantidade de trigo maltado e também de milho não maltado, o qual raramente é utilizado para a fabricação de cerveja, mesmo na Inglaterra. A cerveja é fabricada utilizando tecnologia de infusão e tem uma cor âmbar escura com um caráter de malte arredondado. O estilo é caracterizado pelo seu rico aroma lupulado e sabor amargo, específico de lúpulos originalmente britânicos, que são mais intensos em comparação com lúpulo Žatec, e seu aroma único de grama deixa um sabor seco ligeiramente amargo no paladar. Esta variedade incomum de lúpulo fornece à cerveja uma característica de leveza e frescor que é típico para o estilo. Seu aroma único deixa um sabor seco ligeiramente amargo no paladar. O aroma desta cerveja é mais fraco em comparação com as lagers da República Tcheca.

Original: Our Pale Ale is a top-fermented beer, produced from barley malt with a small amount of colored malted wheat and also from unmalted corn, which is rarely used for brewing even in England. The beer is brewed using infusion technology and has a dark amber color with a rounded malty character. Pale Ale is characterized by its rich hoppy aroma and specific bitter taste of original British hops, which are rougher in comparison with Žatec hops, and their unique grassy aroma leaves a dry slightly bitter aftertaste on the palate. This unusual hoppy variety provides the Ale with its characteristic lightness, freshness and head, which is typical for English Ale. The tang of this beer is weaker in comparison with Czech lagers.

Considerações da Confraria:

A cerveja Primátor English Pale Ale foi nossa segunda avaliada da noite, com opiniões mais uniformes que a nossa primeira degustada. Nosso presidente da noite, Ricardo Valência, a considerou uma cerveja excepcional e a pontuação da cerveja segundo ele foi 9 em uma escala de zero a dez . Mais uma vez nosso confrade Marco Jordan, atribuiu a nota mais baixa (4,2) e informou, junto com outras duas pessoas que não a compraria porém tomaria se lhe fosse oferecido. A cerveja possui uma coloração considerada ambar e espuma bege, é bem límpida e a espuma é de formação média com retenção de baixa para média.

Embalagem:

A embalagem da cerveja é a Garrafa Alemã de 500 mL e seu rótulo é bonito mas com pouca informação. O fundo é a bandeira da Inglaterra, remetendo ao estilo da cerveja e o nome da cervejaria e o estilo são identificados facilmente. Além do país de origem e da região da cervejaria não existem mais informações no rótulo. A graduação alcoólica é apresentada no contra-rótulo, porém o texto está escrito em idioma nativo. A etiqueta transcrevendo informações obrigatórias em português contra-rótulo, elaborada pela Dmm Imp. & Exp. Importacao E Exportacao Ltda, informa o nome da cerveja, a graduação alcoólica, o volume da embalagem, os ingredientes, a cervejaria e outras informações que são exigidas por lei.

Avaliação da Embalagem:

Rótulo de estilo agradável em uma garrafa tradicional resultam em uma apresentação razoável que agrada ao olhar, porém com poucas informações. Algumas informações estão presentes porém não são claras, rótulo pobre de informação e contra-rótulo no idioma de origem. Etiqueta bastante incompleta de difícil leitura. A lista de ingredientes está incompleta pois, se a cerveja leva milho não malteado na composição, deveria ser informado a presença de “cereais não-malteados”. Faltou também informar o amargor (IBU) da cerveja, sua harmonização, o copo recomendado, o nome do importador (é apresentado apenas o CNPJ) e a temperatura de serviço.

Avaliações de nossos degustadores:

Aroma: 7,6
Aparência: 7,4
Sabor: 7,6
Sensação na boca: 7,0
Impressão Geral: 7,0
Média Geral: 7,4

Ficha de Avaliação

Fuller’s London Pride

Características:

Cervejaria: Fuller’s
País: Inglaterra
Estilo: Special Premium Bitter Ale (8B)
ABV: 4,7%
Temperatura de consumo: 8 – 12 ºC
Copo Utilizado: Pint

Descrição do Fabricante:

Não apenas a cerveja icônica da capital, London Pride é um caso de amor de todos os britânicos que une uma nação de bebedores de cerveja. É fabricado com variedades de lúpulo inteiramente caseiras – sendo o Target para amargor e os lúpulos Northdown, Challenger e Goldings para aroma – mas a alma da cerveja está inquestionavelmente no malte. Maltes cristal combinam-se com as variedades de maltes Pale Ale – Concerto e Propino – colhidos na primavera para dar a esta cerveja sua inimitável profundidade e equilíbrio.

Esta cerveja Premium Ale de cor castanho-avermelhado empresta notas de uva doce, biscoito e frutas secas do malte cristal, enquanto que os aromas das ervas frescas de pinha emanam do lúpulo. Rico, suave e elegante no paladar, ela leva a um acabamento limpo e satisfatório com amargor bem equilibrado.

Original: Not just the iconic ale of the capital, London Pride is an all-British affair that unites a nation of beer drinkers. It’s brewed with entirely home-grown hop varieties – Target for bittering and Northdown, Challenger and Goldings for aroma – but the soul of the beer is unquestionably in the malt. Crystal malts combine with spring-harvested Pale Ale varieties Concerto and Propino, to give Pride its inimitable depth and balance.
This tawny-coloured premium ale borrows sweet raisin, biscuit and dried-fruit notes from the Crystal malt, while fresh, piney herbs emanate from the hops. Rich, smooth and elegant on the palate, it draws to a clean, satisfying finish with beautifully balanced bitterness.

Considerações da Confraria:

A cerveja Fuller’s London Pride foi nossa última avaliada da noite e também surpreendeu a todos por seu contraste com Sud Pale Ale. Na terceira cerveja da noite o destaque foi o lúpulo devido ao processo de “dry-hopping” enquanto que nesta última o destaque realmente são os maltes. De aroma e paladar muito agradáveis a cerveja remete a um biscoito doce com leve toque de frutas secas. O aroma é muito equilibrado e sua cor ambar escuro muito límpida. O colarinho é de média formação e média retenção e a cor bege foi a que foi identificada pelos nossos confrades e convidados. Desta vez o nosso confrade Gustavo Samogim atribuiu a nota mais baixa (6,4) e somente o nosso confrade Kim que informou que não a compraria porém tomaria se lhe fosse oferecido. O senso comum foi que a cerveja é muito gostosa.

Embalagem:

A embalagem da cerveja é a Garrafa Inglesa Customizada da Fuller’s de 500 mL e seu rótulo é clássico e bem limpo. O nome da cervejaria e o nome da cerveja são identificados facilmente. Os rótulos são únicos e exclusivos, o que facilita a identificação. O contra-rótulo apresenta claramente a graduação alcoólica, o volume de cerveja, a proveniência da cerveja e os ingredientes em diversos idiomas incluindo português. Os demais textos obrigatórios por lei estão em uma etiqueta da importadora Boxer do Brasil Representações Ltda.

Avaliação da Embalagem:

Rótulo de estilo clássico, bonito e agradável em uma garrafa elegante com uma apresentação muito boa e exclusiva. As informações entretanto não estão presentes no rótulo porém são claras no contra-rótulo. A leitura e compreensão não é muito fácil e requer atenção devido aos diverso idiomas nesta garrafa de exportação. Faltou informar o amargor, a harmonização sugerida, o copo recomendado e a temperatura de serviço.

Avaliações de nossos degustadores:

Aroma: 7,6
Aparência: 8,2
Sabor: 8,0
Sensação na boca: 6,8
Impressão Geral: 8,0
Média Geral: 7,8

Ficha de Avaliação

Segunda Reunião – Confraria Chug-a-Lug

Data: 02/Fevereiro/2017

Chug-a-luggers Presentes: Alexandre Fornazari, Gustavo Samogim, Marcelo Sperandim, Marco Jordan, Orlindo Martins, Ed Gomes, Ricardo Valência.
Chug-a-luggers Ausentes: Alessandro Montoya, Renato Maldonado e Rodrigo Menossi

Convidados: Anselmo Cimatti e Lotário Thum.

Presidente: Orlindo Martins
Relator: Ed Gomes

A reunião foi iniciada às 20:00 com um Bate-papo Técnico conduzido por Alexandre Fornazari. Neste bate-papo foram apresentadas as famílias de cervejas: Lagers, Ales e Lambics e o que as caracteriza. Também foram apresentados, de maneira a expor os confrades e convidados a alguns ingredientes cervejeiros, dois tipos de maltes (Cristal e Cara) e três tipos de lúpulos (Tettanger, Citra e Cascade).

A degustação foi iniciada logo após o bate-papo e o Presidente da Reunião, Orlindo Martins (Kim), falou um pouco aos presentes sobre suas pesquisas realizadas para a apresentação de cervejas do estilo Pale Ale. Como definido após a realização da primeira reunião, foram selecionadas quatro cervejas do estilo Pale Ale e estas foram degustadas, avaliadas, comentadas e debatidas entre os confrades.

Assim como na primeira reunião, novamente surgiram dúvidas sobre ésteres, fenóis, formato do colarinho etc. Nossos convidados teceram alguns comentários a respeito da água utilizada em algumas regiões do país e o resultado na qualidade das cervejas fabricadas nessas mesmas regiões.

Ao final da primeira reunião foi sugerido e acordado entre os confrades a redução de cinco para quatro cervejas a serem degustadas, e foi possível concluir ao final da segunda reunião que sim, quatro é o número ideal de cervejas para obter mais precisão nos sentidos para a avaliação das cervejas.

Na segunda reunião, as seguintes cervejas foram degustadas e avaliadas:

  • Eisenbahn – Pale Ale (16B)
  • Sierra Nevada – Pale Ale (10A)
  • OPA Bier – Pale Ale (10A)
  • Ghost Ship (8C)

Embora a pontuação geral possa dar a impressão de que todas as cervejas sejam bastante parecidas, a cerveja eleita a melhor da noite foi a Adnams Ghost Ship com 7,5 pontos.

Até a próxima confraria.

Saúde!

Eisenbahn Pale Ale

Eisenbahn Pale Alea

Características:

Cervejaria: Cervejaria Sudbrack
País: Brasil
Estilo: Belgian Pale Ale (16B)
ABV: 4,8%
Temperatura de consumo: 5 – 7 ºC
Copo Utilizado: Pint

Descrição do Fabricante:

A Eisenbahn Pale Ale é uma cerveja de alta fermentação, de coloração âmbar, pois também utiliza malte tostado em sua formulação; ótima formação e retenção de espuma, sabor vigoroso e marcante, como as clássicas Ales belgas. Copo indicado: Nonic.

Assim como as clássicas Ales belgas, a Eisenbahn Pale Aleapresenta excelente paladar e amargor mais encorpados e complexos, tem um sabor vigoroso e marcante além de uma ótima formação e retenção de espuma. Sua coloração âmbar é fruto da utilização de maltes tostados em sua fórmula. A Pale Ale da Eisenbahn segue a escola da Bélgica, sendo uma variação dos mais diversos tipos deste estilo, já que sabor e aroma sofrem variações dependendo do país em que é produzida.

Considerações da Confraria:

A cerveja Eisenbahn foi nossa primeira avaliada da noite, com opiniões um pouco divergentes, mas variando entre bom e excelente. Nosso convidado e iniciante no mundo cervejeiro, Anselmo, a considerou uma cerveja de amargor acentuado, enquanto isso, nosso confrade Jordan, observou bem a baixa retenção de espuma, que de fato não perdura o quando esperamos de uma boa cerveja. A cerveja possui uma coloração bonita, considerada ambar através do senso comum entre todos os confradesPior avaliação foi feita pelo confrade Gustavo Samogin, com 5,4 pontos (Bom) e a melhor avaliação foi feita pelo confrade Marcelo Sperandin, com 8,4 pontos (Excelente)

Avaliações de nossos degustadores:

Aroma: 6,4
Aparência: 8,3
Sabor: 5,3
Sensação na boca: 6,8
Impressão Geral: 6,4
Média Geral: 6,2

Ficha de Avaliação