Terceira Reunião – Confraria Chug-a-Lug

Data: 16/Março/2017

Chug-a-luggers Presentes: Alexandre Fornazari, Gustavo Samogim, Marcelo Sperandim, Marco Jordan, Orlindo Martins, Ed Gomes, Ricardo Valência e Rodrigo Menossi.
Chug-a-luggers Ausentes: Alessandro Montoya e Renato Maldonado.

Convidados: Antônio dos Santos e Fernando A. Gomes.

Presidente: Ricardo Valência

A reunião foi iniciada às 20:00 com um Bate-papo Técnico conduzido por Alexandre Fornazari. Neste bate-papo foi feita uma apresentação muito breve sobre mosto cervejeiro e o processo de “ramp up“. Nossos convidados teceram alguns questionamentos sobre a influência da água utilizada e o resultado na qualidade das cervejas. Foi explicado que o mosto cervejeiro deve ser feita com a água mais ácida, com pH entre 4,5 e 5,5 e que a dureza da água também influencia o resultado da cerveja.

A degustação foi iniciada logo após o bate-papo e o Presidente da Reunião, Ricardo Valência, apresentou formalmente os convidados aos confrades e pediu que eles falassem um pouco sobre suas experiências anteriores com cervejas. Na sequência o Ricardo falou um pouco aos presentes sobre suas pesquisas e degustações realizadas para a seleção e para a apresentação de cervejas. Ele concluiu que o universo das Pale Ale é muito grande e resolveu fazer a degustação novamente do estilo, dando continuidade à segunda reunião. Foram selecionadas quatro cervejas do estilo e estas foram degustadas, avaliadas, comentadas e debatidas entre os confrades e convidados.

Assim como nas primeira e segunda reuniões, surgiram dúvidas sobre ésteres, fenóis, formato do colarinho etc. Interessante comentar que uma das garrafas da Insana estava contaminada pois, assim que a tampa foi removida, a espuma começou a ser liberada pela boca da garrafa, o que me fez suspeitar de contaminação que foi confirmada pelo aroma, gosto e aspecto da cerveja. Esta foi uma experiência interessante, pois os confrades e os convidados tiveram a oportunidade de sentir as diferenças entre uma cerveja boa e uma cerveja contaminada. Vale notar que as garrafas de SUD também ameaçaram espumar ao serem abertas, porém ao chegar na extremidade a espuma parava e não escorria pela garrafa. Eu imagino que isso tenha ocorrido em função do “dry-hopping” feito nesta cerveja.

Fizemos a degustação de quatro cervejas, porém compramos cerveja para 17 pessoas (estávamos em 10 pessoas) degustar e, ao término da degustação todos exageraram e beberam todas garrafas. Temos que corrigir e comprar o suficiente para degustação somente, afinal de contas o objetivo é beber com qualidade e não em quantidade.

Na terceira reunião, as seguintes cervejas foram degustadas e avaliadas:

  • Insana – Pale Ale (10A)
  • Primator English Pale Ale (8C)
  • SUD Pale Ale (8B)
  • Fuller’s London Pride (8B)

Surpreendentemente a grande vencedora da noite, na opinião dos confrades, foi a SUD Pale Ale. Agora a grande surpresa mesma foi que tivemos a nossa primeira avaliação Chug-A-Lug, pois a SUD Pale Ale tirou nota máxima em todas os critérios para o nosso convidado Toninho.

Nossa próxima reunião da confraria será dia 27/04/2017 e nosso próximo presidente será o Marco Jordan.

Saúde e até lá!

Segunda Reunião – Confraria Chug-a-Lug

Data: 02/Fevereiro/2017

Chug-a-luggers Presentes: Alexandre Fornazari, Gustavo Samogim, Marcelo Sperandim, Marco Jordan, Orlindo Martins, Ed Gomes, Ricardo Valência.
Chug-a-luggers Ausentes: Alessandro Montoya, Renato Maldonado e Rodrigo Menossi

Convidados: Anselmo Cimatti e Lotário Thum.

Presidente: Orlindo Martins
Relator: Ed Gomes

A reunião foi iniciada às 20:00 com um Bate-papo Técnico conduzido por Alexandre Fornazari. Neste bate-papo foram apresentadas as famílias de cervejas: Lagers, Ales e Lambics e o que as caracteriza. Também foram apresentados, de maneira a expor os confrades e convidados a alguns ingredientes cervejeiros, dois tipos de maltes (Cristal e Cara) e três tipos de lúpulos (Tettanger, Citra e Cascade).

A degustação foi iniciada logo após o bate-papo e o Presidente da Reunião, Orlindo Martins (Kim), falou um pouco aos presentes sobre suas pesquisas realizadas para a apresentação de cervejas do estilo Pale Ale. Como definido após a realização da primeira reunião, foram selecionadas quatro cervejas do estilo Pale Ale e estas foram degustadas, avaliadas, comentadas e debatidas entre os confrades.

Assim como na primeira reunião, novamente surgiram dúvidas sobre ésteres, fenóis, formato do colarinho etc. Nossos convidados teceram alguns comentários a respeito da água utilizada em algumas regiões do país e o resultado na qualidade das cervejas fabricadas nessas mesmas regiões.

Ao final da primeira reunião foi sugerido e acordado entre os confrades a redução de cinco para quatro cervejas a serem degustadas, e foi possível concluir ao final da segunda reunião que sim, quatro é o número ideal de cervejas para obter mais precisão nos sentidos para a avaliação das cervejas.

Na segunda reunião, as seguintes cervejas foram degustadas e avaliadas:

  • Eisenbahn – Pale Ale (16B)
  • Sierra Nevada – Pale Ale (10A)
  • OPA Bier – Pale Ale (10A)
  • Ghost Ship (8C)

Embora a pontuação geral possa dar a impressão de que todas as cervejas sejam bastante parecidas, a cerveja eleita a melhor da noite foi a Adnams Ghost Ship com 7,5 pontos.

Até a próxima confraria.

Saúde!

Eisenbahn Pale Ale

Eisenbahn Pale Alea

Características:

Cervejaria: Cervejaria Sudbrack
País: Brasil
Estilo: Belgian Pale Ale (16B)
ABV: 4,8%
Temperatura de consumo: 5 – 7 ºC
Copo Utilizado: Pint

Descrição do Fabricante:

A Eisenbahn Pale Ale é uma cerveja de alta fermentação, de coloração âmbar, pois também utiliza malte tostado em sua formulação; ótima formação e retenção de espuma, sabor vigoroso e marcante, como as clássicas Ales belgas. Copo indicado: Nonic.

Assim como as clássicas Ales belgas, a Eisenbahn Pale Aleapresenta excelente paladar e amargor mais encorpados e complexos, tem um sabor vigoroso e marcante além de uma ótima formação e retenção de espuma. Sua coloração âmbar é fruto da utilização de maltes tostados em sua fórmula. A Pale Ale da Eisenbahn segue a escola da Bélgica, sendo uma variação dos mais diversos tipos deste estilo, já que sabor e aroma sofrem variações dependendo do país em que é produzida.

Considerações da Confraria:

A cerveja Eisenbahn foi nossa primeira avaliada da noite, com opiniões um pouco divergentes, mas variando entre bom e excelente. Nosso convidado e iniciante no mundo cervejeiro, Anselmo, a considerou uma cerveja de amargor acentuado, enquanto isso, nosso confrade Jordan, observou bem a baixa retenção de espuma, que de fato não perdura o quando esperamos de uma boa cerveja. A cerveja possui uma coloração bonita, considerada ambar através do senso comum entre todos os confradesPior avaliação foi feita pelo confrade Gustavo Samogin, com 5,4 pontos (Bom) e a melhor avaliação foi feita pelo confrade Marcelo Sperandin, com 8,4 pontos (Excelente)

Avaliações de nossos degustadores:

Aroma: 6,4
Aparência: 8,3
Sabor: 5,3
Sensação na boca: 6,8
Impressão Geral: 6,4
Média Geral: 6,2

Ficha de Avaliação