Coserdonk Tempelier

Faz um tempo que não atualizo este blog então escolhi uma cerveja que gosto muito para voltar aos posts. Há muito tempo atrás, realmente muito tempo, quando o Frangó era mais conhecido pelos moradores da Freguesia do Ó e eu morava perto do lardo da matriz, eu tive a oportunidade de provar as cervejas belgas “Paster Noster” e “Agnus Dei” da cervejaria Corsendonk. A marca da cerveja refere-se ao priorado de Corsendonk em Oud-Turnhout, localizado na província Belga de Antuérpia, o qual funcionou de 1398 a 1784 e foi reconstruído em 1968 como um complexo hoteleiro pelos novo proprietário, o Hotel Corsendonk. Em 1982, na celebração do centésimo vigésimo quinto aniversário da municipalidade de Oud-Turnhout, o neto de Antonius Keersmaekers, Jef Keersmaekers, lançou as cervejas que eu tive a oportunidade de provar no Frangó.

PrioradoAlgum tempo depois resolvi beber novamente as cervejas, porém as mesmas haviam sumido do mercado. Recentemente estas cervejas voltaram às prateleiras das lojas, porém com alteração nos seus nomes: atualmente a Paster Noster se chama Corsendonk Patter e a Agnus Dei se chama Coserdonk Agnus. A produção da cerveja é terceirizada e é feita na Brasserie Du Bocq.

Bebi no último final de semana uma garrafa da Corserdonk Tempelier. Ganhei de presente o kit com uma garrafa de 330 ml e a taça, que, diga-se de passagem, é linda. A cerveja possui coloração âmbar ligeiramente turva com espuma bege claro de boa duração e formação.

tempelier_1No aroma é possível identificar notas de caramelo, lúpulo, ervas e frutas, os quais estão presentes também no sabor. O sabor é ligeiramente adocicado com notas picantes e o amargor é leve. Corpo médio e boa drinkability.

Harmoniza bem com: queijos de média intensidade (minas, brie/camembert, gouda, prato, gruyère, parmesão, roquefort, gorgonzola), pato, codorna, peru, faisão, chester, massa com molho de tomate, molho branco, ao pesto, lasanha, canelone, carneiro, comida indiana, camarão frito, caranguejo, caviar, lagosta e sobremesas a base de frutas.

Características:

ABV: 6,0%
IBU: 20 – 30
Estilo: 3 – Belgian Golden Ale
Temperatura de Consumo: 10ºC a 12ºC
Copo recomendado: Tulipa ou Taça

 

Cervejas Chilenas – Parte 1

Kunstmann Torobayo

Torobayo 2

Queridos amigos, estive no Chile a trabalho na semana passada para uma Conferência, onde obviamente aproveitei o tempo para conhecer o que há de melhor em termos culinários. Como não sou e não conheço vinhos, aproveitei para conhecer as cervejas artesanais produzidas no país. O Chile possui uma grande influência Alemã, pois em 1848 o governo Chileno patrocionou a imigração de alemães para a colonização das regiões setentrionais do país. Esses alemães (e suíços e austríacos) foram atraídos pela composição natural das províncias do Valdivia, Osorno e Llanquihue e foram colocados em terras dadas pelo governo chileno para povoar a região. O motivo principal foi devido ao sul do Chile ser praticamente desabitado, e nesta região a influência desta imigração alemã é muito forte.

Histórias à parte, decidi começar minhas degustações para cerveja Kunstmann, que é produzida na cidade de Valdívia pela cervejaria de mesmo nome. Logo quando chegamos fomos ao shopping Costanera para almoçar e perguntei a sugestão do garçom. Este imediatamente sugeriu a Kunstmann Torobayo.

Torobayo 3Esta cerveja é uma Ale muito agradável. Apresenta um aroma bem refinados de lúpulo e frutas secas e uma coloração âmbar proveniente dos maltes utilizados (claros e caramelo). No paladar apresenta corpo moderado e equilibrado e um leve dulçor. Este estilo de cerveja já esteve em alta no passado, na época Vitoriana, em toda a Europa e Índia e hoje volta a fazer sucesso.

Esta é uma cerveja que harmoniza muito bem com o tradicional salmão defumado chileno, massas, presuntos e carne branca.

Características:

ABV: 5%
Estilo: 17 – American Pale Ale
Temperatura de Consumo: 5ºC a 7ºC
Copo recomendado: Tulipa

 

Kunstmann Bock

Bock 1Esta cerveja é uma Bock de sabor caramelado e tostado. Apresenta um aroma de café tostado e uma coloração escura resultante da alta concentração do mosto. No paladar apresenta um excelente corpo  e amargor bem definido.

Bock 2Esta é uma cerveja que harmoniza muito bem com o carnes vermelhas e de caça, embutidos e pratos com carne crua.

 

 

Características:

ABV: 5%
Estilo: 40 – Traditional Bock
Temperatura de Consumo: 8ºC a 12ºC
Copo recomendado: Caldereta

Continua…

Urthel Samaranth

Urthel logo 2010 .10Queridos amigos, já faz mais de uma semana que não escrevo, mas volto agora e aproveito para escrever sobre uma das minhas cervejas preferidas. Entendam por “preferidas” as cervejas que compro novamente. A cervejaria Bierbrouwerij De Koningshoeven não é uma das tradicionais e antiquíssimas cervejarias belgas. Mas as receitas elaboradas pela engenheira industrial especializada em processos de cervejarias e cervejeira Hildegard van Ostaden são de se tirar o chapéu.

Esta cerveja foi inicialmente concebida para o casamento de Hildegard e seu companheiro Bas em 2002. O objetivo era fazer uma cerveja que fosse forte o suficiente para substituir o vinho, e nasceu um monstro. Isso mesmo, esta cerveja é um monstro. O interessante desta cerveja Belga é que ela é produzida na Holanda, na cervejaria De Koningshoeven – mosteiro trapista produtor da famosa La Trappe.

home-sam-btn-a

A cerveja possui uma coloração marrom avermelhada com boa formação de espuma de cor creme. De aroma complexo e frutado com notas de malte é possível perceber um pouco de álcool e condimentos. No paladar o álcool é ainda mais evidente, apesar de ser uma cerveja bem encorpada e após o choque inicial é possível sentir o dulçor de caramelo. Sabores de amêndoas e frutas escuras também estão presentes, porém mais sutilmente. O amargor do lúpulo é bem evidente e a sensação final adocicada e amanteigada, que remete ao chocolate, agrada muito o meu paladar. Recomenda-se 3 anos como tempo de guarda para maturação na garrafa.

Esta é uma cerveja recomendada para dias frios e harmoniza muito bem com queijos fortes, carnes bem temperadas, chocolates e sobremesas.

Características:

ABV: 11,5%
IBU: 26
Estilo: 29 – Belgian Strong Dark Ale / 64 – Barley Wine
Temperatura de Consumo: 13ºC a 15ºC
Copo recomendado: Cálice

Rogue Dead Guy Ale

2013-08-03 19.11.21Rogue Dead Guy Ale Há algum tempo atrás degustei uma Rogue Dead Guy Ale. Aroma: o lúpulo faz-se bem presente com notas cítricas e caramelo. Aparência: a cerveja servida em um copo caldereta possui coloração amarelo escuro com boa formação de espuma. Paladar: seu amargor é de moderado a alto para os padrões de paladar dos brasileiros (considero o padrão como sendo o estilo 11 – American Lite com IBU de 8 a 15).

Esta cerveja recebeu as seguintes premiações:

  • World Beer Championship – Medalha de Ouro em 2008, 2009 e 2012
  • World Beer Championship – Medalha de Prata em 2005, 2006 e 2007
  • Australian International Beer – Medalha de Bronze em 2012 e Medalha de Prata em 2010

A harmonização recomendada pela Rogue é carne de porco e pratos quentes e picantes.2013-08-02 19.11.39

Segundo o site da Rogue, esta cerveja foi criada no início dos anos 90 com um rótulo privado para celebrar o “Dia dos Mortos” (1 de novembro, All soul day, México e culturas maias) para a casa U Betcha (atualmente fechada) em Portland, no estado do Oregon. O rótulo se mostrou bastante popular entre os consumidores que a Rogue decidiu colocar em linha o que eles chamaram de “Maierbock Ale“.

2013-08-03 19.12.02Características:
ABV: 6,6%
IBU: 40
Estilo: Maibock / 13 – Helles Bock
Temperatura de Consumo: 5ºC a 7ºC

Rogue Juniper Pale Ale

2013-08-02 19.12.02Rogue Juniper Pale Ale
Na última sexta-feira abri uma Rogue Juniper Pale Ale. Gostei bastante, apesar de ter feito alguma coisa errada, o copo provavelmente foi lavado com detergente ou a temperatura da cerveja estava inadequada, deixando a cerveja servida com um aspecto estranho. Bolhas grandes e espuma com baixa consistência. Como foi a primeira vez que tomei não tenho referências anteriores para poder afirmar que algo estava errado. Esta cerveja recebeu as seguintes premiações:

  • World Beer Championship – Medalha de Ouro em 2010 e 2011
  • 2010 World Beer Awards – Worlds Best Pale Ale
  • Australian International Beer – Medalha de Bronze em 2010
  • US Beer Tasting Championship – PNW Champ – 2010

2013-08-02 20.53.35Esta Pale Ale possui uma coloração amarelo escuro (açafrão) com aroma floral e uma sensação final seca e picante (devido ao zimbro segundo a Rogue). Apresenta um bom equilíbrio de malte e o amargor, para o meu paladar, é moderado. A harmonização recomendada pela Rogue é peru e pratos quentes e picantes.

Segundo o site da Rogue, o peru foi nomeado a ave oficial da Nação Rogue em agosto de 2007. Para comemorar a ocasião, Rogue Juniper Pale Ale foi dedicada ao “peru em cada um de nós”. Um machado e uma dedicatória foram adicionados ao rótulo.

Os peregrinos eram apreciadores de cervejas e muito provavelmente as tomavam desde o primeiro Dia de Ação de Graças (Thanksgiving).

2013-08-02 20.53.22Características:
ABV: 5,9%
IBU: 34
Estilo: Specialty Beer / 17 – American Pale Ale
Temperatura de Consumo: 5ºC a 7ºC