Terceira Reunião – Confraria Chug-a-Lug

Data: 16/Março/2017

Chug-a-luggers Presentes: Alexandre Fornazari, Gustavo Samogim, Marcelo Sperandim, Marco Jordan, Orlindo Martins, Ed Gomes, Ricardo Valência e Rodrigo Menossi.
Chug-a-luggers Ausentes: Alessandro Montoya e Renato Maldonado.

Convidados: Antônio dos Santos e Fernando A. Gomes.

Presidente: Ricardo Valência

A reunião foi iniciada às 20:00 com um Bate-papo Técnico conduzido por Alexandre Fornazari. Neste bate-papo foi feita uma apresentação muito breve sobre mosto cervejeiro e o processo de “ramp up“. Nossos convidados teceram alguns questionamentos sobre a influência da água utilizada e o resultado na qualidade das cervejas. Foi explicado que o mosto cervejeiro deve ser feita com a água mais ácida, com pH entre 4,5 e 5,5 e que a dureza da água também influencia o resultado da cerveja.

A degustação foi iniciada logo após o bate-papo e o Presidente da Reunião, Ricardo Valência, apresentou formalmente os convidados aos confrades e pediu que eles falassem um pouco sobre suas experiências anteriores com cervejas. Na sequência o Ricardo falou um pouco aos presentes sobre suas pesquisas e degustações realizadas para a seleção e para a apresentação de cervejas. Ele concluiu que o universo das Pale Ale é muito grande e resolveu fazer a degustação novamente do estilo, dando continuidade à segunda reunião. Foram selecionadas quatro cervejas do estilo e estas foram degustadas, avaliadas, comentadas e debatidas entre os confrades e convidados.

Assim como nas primeira e segunda reuniões, surgiram dúvidas sobre ésteres, fenóis, formato do colarinho etc. Interessante comentar que uma das garrafas da Insana estava contaminada pois, assim que a tampa foi removida, a espuma começou a ser liberada pela boca da garrafa, o que me fez suspeitar de contaminação que foi confirmada pelo aroma, gosto e aspecto da cerveja. Esta foi uma experiência interessante, pois os confrades e os convidados tiveram a oportunidade de sentir as diferenças entre uma cerveja boa e uma cerveja contaminada. Vale notar que as garrafas de SUD também ameaçaram espumar ao serem abertas, porém ao chegar na extremidade a espuma parava e não escorria pela garrafa. Eu imagino que isso tenha ocorrido em função do “dry-hopping” feito nesta cerveja.

Fizemos a degustação de quatro cervejas, porém compramos cerveja para 17 pessoas (estávamos em 10 pessoas) degustar e, ao término da degustação todos exageraram e beberam todas garrafas. Temos que corrigir e comprar o suficiente para degustação somente, afinal de contas o objetivo é beber com qualidade e não em quantidade.

Na terceira reunião, as seguintes cervejas foram degustadas e avaliadas:

  • Insana – Pale Ale (10A)
  • Primator English Pale Ale (8C)
  • SUD Pale Ale (8B)
  • Fuller’s London Pride (8B)

Surpreendentemente a grande vencedora da noite, na opinião dos confrades, foi a SUD Pale Ale. Agora a grande surpresa mesma foi que tivemos a nossa primeira avaliação Chug-A-Lug, pois a SUD Pale Ale tirou nota máxima em todas os critérios para o nosso convidado Toninho.

Nossa próxima reunião da confraria será dia 27/04/2017 e nosso próximo presidente será o Marco Jordan.

Saúde e até lá!

Sud Pale Ale

Características:

Cervejaria: Cervejaria Sudbräu
País: Brasil
Estilo: Special Premium Bitter Ale (8B)
ABV: 4,8%
Temperatura de consumo: 5 – 7 ºC
Copo Utilizado: Pint

Descrição do Fabricante:

Uma cerveja de alta fermentação de cor bronze. Se caracteriza pela presença de ésteres frutados e com notas herbáceas dos lúpulos ingleses utilizados no dry hopping. Elaborada com blend de lúpulos de médio amargor. Medianamente encorpada com sabor e aroma de malte com final seco.

Considerações da Confraria:

A cerveja Sud Special Bitter Pale Ale foi nossa terceira avaliada da noite e surpreendeu a todos e as avaliações refletiram a agradável surpresa. Um detalhe que chamou a atenção foi que tivemos a impressão de haver alguma contaminação na cerveja, pois a maioria das garrafas, à medida que iam sendo abertos, apresentavam uma formação de espuma que subia até a boca da garrafa, porém parava por ali. Reservei as que apresentaram tal comportamento e servi algumas em que este comportamento não se apresentou. Depois servi a mim mesmo com o conteúdo das duas garrafas e comparei, sendo que não notei diferenças e pude concluir que não havia, de fato, contaminação. Acredito que tal comportamento seja em função do “dry-hopping”. Novamente nosso convidado Toninho deu as maiores notas para a cerveja, sendo que tivemos nossa primeira nota máxima (10) em uma avaliação, que consideramos uma nota Chug-a-Lug. Mais uma vez nosso exigente confrade Marco Jordan atribuiu a nota mais baixa (6,4) e, além do nosso convidado Fernando, foi o único confrade que informou que não a compraria porém tomaria se lhe fosse oferecido. A cerveja possui uma coloração ambar, intenso aroma de lúpulo, amargor médio e é possível identificar pequenas partículas em suspensão no líquido bem transparente, que acredito que seja lúpulo (e também a origem a espuma ao abrir as garrafas), o senso comum foi que a cerveja é bastante fiel ao descrito pela empresa.

Embalagem:

A embalagem da cerveja é a Garrafa Inglesa de 500 mL e seu rótulo é clássico e bem limpo, parecendo que foi feito artesanalmente. O nome da cervejaria e o estilo são identificados facilmente. A graduação alcoólica é apresentada no rótulo e a diversificação do rótulo apenas pelas caixa de estilo (em vermelho nesta cerveja) dificulta um pouco a identificação. O contra-rótulo apresenta claramente a proveniência da cerveja, a descrição apresentada neste post, os ingredientes, armazenamento, a composição, informações da cerveja (amargor, cor, malte e aroma) segundo critério da própria empresa (tornando possível sua comparação apenas com produtos da mesma empresa) e os demais textos obrigatórios por lei.

Avaliação da Embalagem:

Rótulo de estilo clássico, bonito e agradável em uma garrafa elegante resultam em uma apresentação muito boa que agrada ao olhar. As informações estão presentes e são claras, rótulo e contra-rótulo de fácil leitura e compreensão. Na minha opinião faltou apenas informar parâmetros da cerveja segundo critérios já estabelecidos e não critérios próprios, por exemplo: IBU no lugar de Amargor com três estrelas. Faltou também informar a harmonização sugerida, o copo recomendado e a temperatura de serviço.

Avaliações de nossos degustadores:

Aroma: 8,3
Aparência: 7,6
Sabor: 8,4
Sensação na boca: 7,6
Impressão Geral: 8,1
Média Geral: 8,1

Ficha de Avaliação